É Mito Dizer Que Sem Um Capital Inicial Não Tem Como Ser Empreendedor Em Moçambique, diz Feliciano Januário

Feliciano Januário é um jovem empreendedor oriundo e residente da da Cidade da Beira na Província de Sofala. Nesta entrevista ele nos fala do seu percurso académico e da sua principal motivação para se envolver no empreendedorismo.

O Feliciano nos fala também sobre a sua visão do empreendedorismo no país, e traz à superfície a sua opinião sobre o empreendedorismo em Moçambicano. Ele também deixa o seu conselho para os jovens empreendedores em Moçambique.

Leia a entrevista para saber mais.

1. Quem é o Feleciano Januário e o que faz?

Feleciano Luís Januário, jovem empreendedor visionário de 25 anos de idade, nasceu e foi escolarizado na Beira, cidade capital da província de Sofala, em Moçambique –África, local onde vive até os dias de hoje com a sua família que lhe viu crescer.

Desde criança gostou de desenhar e realizar experiências, o que lhe motivou a participar em diversas feiras, jornadas e exposições cientificas na cidade da Beira tendo apresentado vários projectos científicos e inovadores com distinções reconhecidas, sempre com objectivo de contribuir no processo de desenvolvimento da sua comunidade.

Durante o seu percurso na academia, desenvolveu pesquisas e investigações que levou-o a desenhar o projecto de Segurança de Documentos Físicos, onde o mesmo contribui-o significativamente para culminar o curso de Engenharia Informática com a melhor nota junto de alguns dos seus colegas de curso na Faculdade de Ciências e
Tecnologia da Universidade Zambeze.

Em 2015 funda a FELUJA, empresa que oferece soluções a nível das TIC’s ao mercado Moçambicano através de projectos sustentáveis desenvolvidos na empresa. Um dos projectos com maior impacto foi o serviço FELUJA SDF criado pelo fundador da FELUJA, depois de muitas pesquisas feitas com base em quantificar o nível de segurança dos Certificados.

E em 2017 cria o Movimento para Migração Digital dos Certificados em Moçambique apoiado por diversas instituições públicas e privadas. No mesmo ano foi nomeado Delegado da Associação Nacional de Jovens Empresários de Moçambique (ANJE) par aa província de Sofala, é detentor de duas patentes, co-fundador do programa Conexão Empreendedor e membro da comissão Zona da iniciativa HUB LINK.

2. O que lhe motivou a seguir a carreira de empreendedorismo?

A motivação surgiu pela necessidade de querer “manter vivo”, isto é, dar uma sustentabilidade rentável aos projectos que surgiram a partir das minhas ideias.

3. O que é ser um empreendedor para si?

Acredito eu que ser empreendedor, é um estilo de vida que alguém pode adotar ou um perfil pela qual a pessoa pode se mergulhar, para trazer criatividade e ou inovação em um mercado que se ache virgem pelo negócio adotado, quer seja implementado dentro de uma organização (por colaboradores) ou fora (por agentes externos a corporação).

4. Fale-nos da sua empresa. Como é que se chama? Em que área é que opera? E o que faz?

FELUJA é uma marca reservada da FELUJA, EI que é uma empresa de direito Moçambicano, constituída em 2015, após dois anos de estudo e observação exaustiva da realidade em concordância com o comportamento dos dados estatísticos.

Em 2016 a FELUJA colocou no mercado um dos seus serviços (FELUJA SDF) associado a plataforma web (sdf.feluja.co.mz) para garantir a segurança dos documentos físicos. Nós, acreditamos que o serviço FELUJA SDF, traz um olhar diferente para Protecção de Certificados através da solução a nível das TIC’s implementada neste serviço. Três áreas estratégicas de atuação foram desenhadas para FELUJA:

1 – Informática (Soluções a nível das TIC’s)’;
2 – Eventos (Aluguer de equipamentos);
3 – Publicidade (Em desenvolvimento).

5. Como é que consegue angariar novos clientes?

Conseguimos angariar novos clientes através das recomendações e estratégias de marketing. Em estratégias de marketing citarei alguns dos exemplos de implementação:

1. Meios de Comunicação digital (Facebook, Instagram, Google Maps, Google Plus, Google Search, SMS, Whatsapp, LinkedIn, Websites, Blogue, EmailMarketing, etc);

2. Participação em eventos Tecnológicos e ou de Empreendedorismo (Feiras, Workshops, Business Networking, Conferências, etc);

6. Como encara a concorrência?

Encaramos a concorrência como um sinal para aprendermos com a diferenciação dos serviços, pela forma como ele chega e se apresenta ao consumidor final. Procuramos entregar as organizações uma melhor experiência dos nossos produtos e serviços competitivos.

É mito dizer que sem um capital inicial, não tem como ser empreendedor em Moçambique. Click To Tweet

7. Quais são os Desafios do Empreendedor Em Moçambique?

Acredito eu que um dos maiores desafios do empreendedor em Moçambicano está na estratégia de implementação do seu negócio. É mito dizer que sem um capital inicial, não tem como ser empreendedor em Moçambique.

8. Será Que Vale a Pena Ser Empreendedor no Nosso País?

Sim, Sim, Sim, vale a pena ser empreendedor em Moçambique. Moçambique é um país com uma política socioeconómica favorável para um empreendedor poder criar e ou inovar em mercados virgens (não explorados), não só como também existem muitas e enormes riquezas ainda por serem exploradas.

9. Quais são os Maiores Desafios Que a Sua Empresa Enfrenta no Seu Dia a Dia?

Temos muitos desafios por encarar ‘no dia-a-dia, porque a cada nova solução tecnológica introduzida no mercado, existe uma necessidade diária em alterar a consciência dos beneficiários e fazer com que eles não resistam as mudanças que as novas soluções tecnológicas apresentam.

Trabalhamos dia-a-dia para consciencializar os nossos stackholders e criar sempre estratégias para mostrar a importância de soluções tecnológicas que reduzem tempo nos processos, contribuindo para um desenvolvimento exponencial.

10.Quais são os planos da sua empresa para o futuro?

Ser uma empresa de referência em qualidade e eficiência nos serviços implementados a nível nacional, exemplo do serviço FELUJA SDF:
– Ser uma empresa Líder na Segurança dos documentos físicos e na protecção dos Certificados das Organizações.

11.Qual é a chave do sucesso?

Primeiro: Aprender com o Estudo e a Experiência;
Segundo: Ter responsabilidade e ser honesto.

12. Que conselho tem para os jovens?

Aconselho aos jovens e aos futuros empreendedores, a acreditarem em Deus, nos seus negócios, a terem fé e que tudo que sonham é possível, mas a realização dos sonhos depende de o quanto nós trabalhamos para realizamos os nossos sonhos.

13. Últimas Palavras.

Agradeço a Deus por estar comigo nos bons e maus momentos, me encorajando e direcionando em tudo que tenho feito.
Agradeço a minha família em particular, aos meus amigos, colaboradores, parceiros e clientes por depositarem a sua confiança e acreditarem como eu acredito em um Moçambique melhor e livre de falsificadores de Certificados.
Por fim, agradeço também ao SejaEmpreendedor.

Conclusão

Segundo o nosso entrevistado Feliciano Januário é possível fazer negócio em Moçambique e o ambiente é bom para tal, mesmo face às dificuldades existente. Um aspecto importante de realçar é o facto do Feliciano mencionar o facto de que é possível iniciar um negócio sem capital inicial em Moçambique.

Acredito que essa afirmação serve para desafiar a noção que muitos jovens têm de que sem capital inicial não se pode inciar um negócio. Vários jovens constantemente trazem esse tipo de justificações à superfície como motivo principal para não inicar o seu negócio.

Agradecemos ao Feliciano Januário pela sua disponibilidade e por partilhar com a nossa comunidade um pouco das suas experiências. Votos de sucessos para a sua carreira empreendedora e que muitos jovens se possam inspirar no seu exemplo.

SejaEmpreendedor!

About Edgar Chaúque

Edgar Chaúque é o fundador do Seja Empreendedor, ele é Mentor e Coach de Negócios. E é também o fundador do TecnoFala, e do DinheiroFala ,
Share Your Ideas Online .
É o Fundador da ZIKOMU MIDIA, e mentor do projeto ARQUITETOS DO FUTURO. Pode encontrá-lo também no seu blog pessoal.

1 comentário sobre “É Mito Dizer Que Sem Um Capital Inicial Não Tem Como Ser Empreendedor Em Moçambique, diz Feliciano Januário

  1. É altamente gratificante ver um colega meu de faculdade fazendo valer os seus conhecimentos adquiridos. Afinal, uma das coisas mais absurdas que existe é um diploma da mão que não tem obras.
    Parabéns. Januário

Deixe um comentário

%d bloggers like this: